Microplásticos: inimigo invisível dos oceanos e da nossa saúde

“Na natureza nada se cria, tudo se transforma” quando Lavoisier afirmou isso a cerca de 200 anos atrás, ele com certeza não imaginou que poderia acabar se referindo aos microplásticos que vem se transformando nos oceanos e trazendo sérios riscos para toda a cadeia alimentar.

Mas o que são estes microplásticos que estão sendo criticados por todos os lados e também alvos de intensas pesquisas de seus efeitos? Estas estruturas são pequenas partículas de plásticos que podem variar de 1 a 5mm. E de onde elas vem? dos recipientes plásticos descartados no meio ambiente que vão se degradando ao longo dos anos devido ação das ondas e clima, e também e de produtos de beleza como glitter e esfoliantes e estão causando grandes consequências no ambiente aquático, principalmente nos oceanos.

O que é difícil de compreender é como algo tão pequeno pode ser tão prejudicial ao meio ambiente, então vamos lá: Devido ao tamanho diminuto, essas partículas ficam em suspensão nas águas e são absorvidas por organismos filtradores como zooplânctons e pequenos crustáceos e acabam retidas no sistema digestório. Estes pequenos animais servem de alimentos para pequenos peixes e o seu consumo levará consigo o microplástico (imagem abaixo). Esse processo acontecerá até que o alimento chegue em nosso prato pois os microplásticos podem se acumular na musculatura dos peixes. Ou seja, estamos comendo plásticos sem saber.

O mesmo acontece em rios. A água utilizada para hidratação dos gados podem estar contaminadas com microplásticos e sua alimentação fará com que estes fiquem retidos na musculatura do gado, logo, mais uma vez estamos nos alimentando de plástico.

Além disso, o  Instituto de Pesquisa de Sistemas Ambientais da Universidade de Osnabrück, na Alemanha, realizou um estudo que apontou a capacidade destes microplásticos em absorver produtos tóxicos como pesticidas, metais pesados e outros tipos de poluentes orgânicos persistentes (POPs), o que faz com que os danos à saúde da biodiversidade sejam muito maiores. Outros estudos falam sobre microplásticos estarem sendo encontrados no sal de cozinha.

Desta forma, é imprescindível que tomemos consciência sobre nossas ações e nosso consumo exagerado de descartáveis. A dica que deixamos aqui, é que evite o uso de canudos plásticos (se puder, ande com um de metal na bolsa); que leve consigo um copo reutilizável, além de sacolas de pano para as comprar no mercado. São pequenas ações e pequenas mudanças mas que reduzem em grande escala o impacto do plástico no mundo. Não precisamos ser tão dependentes dele quanto somos atualmente. Vamos nos libertar 🙂

 

 

Escrito por: Isabela Gonçalves, graduanda em C. biológicas pela Universidade Estadual de Maringá e diretora de Marketing da Ecoalize – Empresa Júnior de Biologia